Velejadores ganham recepção calorosa em Guangzhou, na China

Velejadores foram recepcionados nesta quinta-feira em Guangzhou. Foto Pedro Martinez/Volvo Ocean Race

A flotilha da Volvo Ocean Race foi recepcionada calorosamente em Guangzhou, na China, na tarde de quinta-feira, depois de percorrer 70 milhas náuticas pelo delta do Rio das Pérolas, de Hong Kong.

Capitão do Dongfeng Race Team, o barco de bandeira chinesa, o francês Charles Caudrelier falou sobre o desafio da Volvo Ocean Race: “É longo, muito longo às vezes, mas isso faz parte da regata. O objetivo é se manter. É desafiador, pois é preciso manter a equipe unida para avançar, mesmo quando você está exausto, e em cada perna que você precisa melhorar e é isso é que gosto nesta regata. É por isso que é tão difícil e a torna diferente de todas as outras regatas do mundo“, definiu.

Dongfeng Race Team chega a Guangzhou. Foto Pedro Martinez/Volvo Ocean Race.

O capitão David Witt, do Sun Hung Kai/Scallywag, falou sobre o incremento no perfil da vela na região: “Tivemos dois times asiáticos que terminaram em primeiro e segundo na quarta etapa da Volvo Ocean Race e acho que é uma ótima indicação para o interesse e o crescimento do esporte aqui na Ásia. Acho que veremos mais isso no futuro“, declarou.

Flotilha na marina de Guangzhou. Foto Pedro Martinez/Volvo Ocean Race

Líder da edição 2017-2018, o MAPFRE tem visto as outras equipes diminuir a vantagem. O capitão Xabi Fernández falou sobre essa pressão exercida pelo adversários. “Na última edição, estávamos do outro lado, começamos mal e continuamos chegando durante toda a regata. Sabíamos que não seria fácil desta vez e todas as equipes continuarão melhorando. Você só precisa ver a lista de velejadores de cada equipe para ver a experiência e a qualidade das pessoas. Por enquanto, nossa preparação está nos dando uma pequena vantagem, mas será cada vez mais difícil. Espero que possamos manter o nosso caminho“, completou.

Olá, você está curtindo o blog? Deixe o seu comentário!