Sun Hung Kai/Scallywag lidera flotilha no sprint final da quarta etapa

Foto: Ugo Fonolla/Volvo Ocean Race.

O time Sun Hung Kai/Scallywag aumentou a liderança na quarta etapa da Volvo Ocean Race nesta segunda-feira. A flotilha da regata está na fase de sprint para a linha de chegada em Hong Kong, faltando apenas 1.500 milhas náuticas. A equipe de Dave Witt passou a liderar a flotilha no sábado depois de “pegar um atalho” ao norte das Ilhas Salomão e desde então se consolidou na primeira colocação.

Impulsionados pela oportunidade de liderar a flotilha e vencer uma etapa pela primeira vez desde a largada da Volvo Ocean Race em sua cidade natal de Hong Kong, a Scallywag encontrou uma engrenagem extra, pois se beneficiam dos ventos favoráveis ​​a frente da flotilha. Nas 24 horas anteriores ao relatório de 1300 UTC, Scallywag registrou uma impressionante 504,7 milhas, 25 milhas a mais do que o Vestas 11th Hour Racing, segunda colocado, e mais de 77 milhas do que o Team AkzoNobel, em terceiro lugar.

Alex Gough no controle do timão, surfando as ondas, a bordo do Sun Hung Kai/Scallywag. Foto: Konrad Frost/Volvo Ocean Race

Vestas estavam a cerca de 76 milhas de distância, e AkzoNobel, pouco abaixo de 89 milhas. Apesar da liderança confortável, nã há nada garantido. “Alguns dias atrás, perderíamos algumas milhas justas, e então olhamos alguns dos arquivos meteorológicos e tentamos fazer algo ligeiramente diferente“, explicou John Fisher, tripulante do Scallywag.

O Scallywag tem um grupo de fãs improváveis, a equipe do barco MAPFRE. Apesar de preferirem lutar pela liderança da quarta etapa, os espanhóis lideram a classificação geral e estão cerca de 170 milhas atrás, em quinto, preferindo ver o Scallywag ganhar a perna e o ponto de bonificação, do que ver o Dongfeng ou o Team Akzonobel, as maiores ameaças na tabela de classificação nesta fase da corrida.

Liz Wardley conserta o dessanilizador do Turn the Tide on Plastic. Foto Brian Carlin/Volvo Ocean Race.

Depois, há o fato de que o navegador Scallywag, Libby Greenhalgh, é a irmã do Robust Grealhau, de MAPFRE. “(Uma vitória para Scallywag) seria boa para eles, mas também para nós“, disse Greenhalgh. “Com um ponto de bônus disponível para ganhar a perna, seria melhor para nós se isso não acontecer com o Vestas ou o Dongfeng. Estamos torcendo pelo Scallywag por vários motivos. Vá Scallywag!

Os ventos de nordeste agora predominam na regata até Hong Kong, limitando as opções táticas das equipes. Em vez disso, o foco está na velocidade do barco, pois cada tripulação tenta aumentar os rankings nos últimos dias da Perna 4. O time de Bouwe Bekking Brunel está no sexto lugar, quase 220 milhas atrás de Scallywag, mas os tripulantes não perderam a esperança. “Não parece que existam muitas opções além de apenas velocidade – é a velejar ao vento apontando diretamente para a linha de chegada“, disse Carlo Huisman. “Mas a esperança ainda existe a bordo. Acabamos de velejar o mais rápido possível“.

Turn the Tide on Plastic tinha mais do que apenas os relatórios de posição para se preocupar quando o dessalinizador – a máquina que remove o sal da água do mar para torná-la potável – parou de funcionar. A velejadora Liz Wardley, apelidada de Little Miss Fix It pelo capitão Dee Caffari, ficou responsável de resolver o problema. Ela rapidamente identificou uma parte corroída dentro do dessalinizador, e logo depois, a tripulação pode contar com água fresca novamente. A chegada dos primeiros barcos em Hong Kong está prevista para a próxima sexta-feira.

Leg 4 – Relatório de Posição – Segunda-feira 15 de janeiro (Dia 14) – 13:00 UTC
DTL nm GAIN_ LOSS STATUS SPEED kt COURSE TWS kt TWD DTF nm
1
SHKS 0.00 0.00 RAC 18.8 292º 18.2 66º 1702.04
2
VS11 75.93 0.57 RAC 22.6 292º 22.8 67º 1777.98
3
AKZO 92.92 4.40 RAC 15.5 303º 15.5 73º 1794.96
4
DFRT 94.89 1.14 RAC 21.9 299º 23.5 76º 1796.94
5
MAPF 176.19 4.53 RAC 15.7 309º 18.2 74º 1878.23
6
TTOP 221.78 2.42 RAC 19.9 284º 19.8 69º 1923.82
7
TBRU 229.67 11.26 RAC 18.5 292º 20.2 74º 1931.71

Olá, você está curtindo o blog? Deixe o seu comentário!