MAPFRE vence terceira etapa na Austrália e dispara na liderança

MAPFRE disparou na liderança da Volvo Ocean Race. Foto Ainhoa Sanchez/VOR

O barco MAPFRE foi o vencedor da terceira etapa da Volvo Ocean Race. A equipe comandada pelo campeão olímpico Xabi Fernández cruzou a linha de chegada na tarde deste domingo (24), já dia de Natal em Melbourne, na Austrália, destino final das 6.500 milhas náuticas de prova.

Os espanhóis fizeram o percurso, que saiu da Cidade do Cabo, na África do Sul, em 14 dias, 4 horas e 7 minutos. O resultado dá 14 pontos ao MAPFRE e mais um de bônus pela vitória na perna pelos mares do sul. O MAPFRE já liderava o campeonato e agora abre, no mínimo, seis pontos para o Dongfeng Race Team. O barco chinês deve ser o segundo colocado em Melbourne e assumirá o segundo posto na classificação geral da Volvo Ocean Race também.

Foto Ainhoa Sanchez/Volvo Ocean Race.

Tivemos que lutar muito para a vitória“, disse o espanhol Xabi Fernández. “Ainda tem muito campeonato pela frente, mas por enquanto estamos muito bem“. A terceira etapa foi a mais difícil até agora. Os barcos, que ainda estão navegando, sofreram pelos mares do sul com ventos extremos, tempestades e frio. A organização estabeleceu um limite para evitar que os times encontrassem os icebergs do sul.

O MAPFRE duelou milha a milha pela liderança com o Dongfeng Race Team. Destaque para um número alto de manobras de mudanças de rumo que ajudaram os espanhóis na regata. “O destaque da nossa equipe é o conjunto! Os velejadores são bons e dão tudo a bordo. Foi muito difícil, mas tudo deu certo. Agora temos alguns dias para se recuperar e preparar para a próxima“, contou o espanhol.

O time da MAPFRE venceu a segunda etapa consecutiva e na primeira perna chegou em segundo lugar. A quarta etapa da Volvo Ocean Race será de Melbourne, na Austrália, até Hong Kong. O percurso tem ao todo 6.000 milhas náuticas.

Foto Ainhoa Sanchez/Volvo Ocean Race.

Segundo colocado na regata, o Dongfeng Race Team chegou a liderar boa parte das 6.500 milhas náuticas da etapa, mas foi superada na reta final pelo MAPFRE. A equipe de Charles Caudrelier teve uma avaria na quilha no último dia de regata e chegou quatro horas depois do MAPFRE em 14 dias, 8 horas e 10 minutos.

Essa foi o perna mais difícil que eu fiz“, disse o francês Charles Caudrelier. “Tivemos essa grande luta com o MAPFRE na maior parte do percurso e depois um problema na quilha. Lideramos mais de 80% da perna. Estamos um pouco decepcionados“.

Sobre a vantagem do MAPFRE na classificação geral que foi para seis pontos, o líder do Dongfeng espera recuperar nas próximas. “Eles têm uma pequena vantagem em termos de pontos e sabemos que eles não cometem muitos erros…Portanto, cada ponto é importante“. O Vestas 11th Hour Racing caiu de segundo para terceiro na classificação geral. A etapa teve pontuação dobrada e foi toda disputada nos mares do sul, com muito frio, ondas gigantes e ventos fortes.

Quarto colocado, o holandês Team Brunel foi o barco que até o momento andou mais em 24 horas. Eles velejaram 538 milhas náuticas em um intervalo de um dia.

Olá, você está curtindo o blog? Deixe o seu comentário!