MAPFRE e Dongfeng Race Team lutam pela vitória na terceira etapa

Fabien Delahaye no comando do Dongfeng Race Team encarando temperaturas congelantes. Foto Martin Keruzore/Volvo Ocean Race.

A disputa pela liderança da terceira etapa da Volvo Ocean Race segue bastante acirrada entre os espanhóis do MAPFRE e os chineses do Dongfeng Race Team. Os barcos se revezam na ponta da perna entre a Cidade do Cabo, na África do Sul, até Melbourne, na Austrália. A prova está em sua reta final nos mares do sul.

A atualização de posições da tarde desta quarta-feira (20) indicou provável chegada na tarde de domingo (24), véspera de Natal. “Claro que é bom estar na liderança, mas sabemos que eles [Dongfeng] vão pressionar muito“, disse o espanhol Xabi Fernández, comandante do MAPFRE. “Os próximos bordos serão oportunidades para eles passarem, como o último foi para nós. Sabemos que eles são rápidos e precisamos ter muito cuidado“, concluiu o espanhol.

Willy Altadill a bordo do líder MAPFRE. Foto Jen Edney/Volvo Ocean Race.

Todos os sete barcos que disputam a terceira etapa da Volvo Ocean Race navegaram próximos à Zona de Exclusão, linha imaginária imposta pela organização para evitar acidentes com icebergs nessa parte dos mares do sul. O Dongfeng de Charles Caudrelier ainda recuperou brevemente o primeiro lugar na noite passada, quando optaram por um rumo 35 milhas ao norte do limite de exclusão, mas um ângulo melhor na brisa oeste-sul-oeste resultou em velocidades mais rápidas para os espanhóis. O MAPFRE passou mais uma vez para a frente depois das 0100 UTC, e, desde então conseguiu uma vantagem de 10 milhas em relação ao Dongfeng.

Stu Bannatyne, do Dongfeng, disse que a equipe estava preparada para lutar pelo primeiro lugar até à linha de chegada – mas admitiu que não há espaço para o erro. “Para cruzar a linha em primeiro, vamos ter de navegar 100% eficaz“, disse o velejador do Dongfeng. “Mas sabemos que estamos há 10 dias competindo e todos estão cansados“.

Peter Burling, Louise e Abby a bordo do Team Brunel. Foto Ugo Fonolla/Volvo Ocean Race.

Apesar de perder algumas milhas para o Vestas 11th Hour Racing, em terceiro lugar, houve boas notícias para o quarto colocado, o Brunel de Bouwe Bekking. A atleta Annie Lush, que no fim de semana foi varrida por um onda, quando estava no deck com o Peter Burling ao leme, levantou-se do seu beliche pela primeira vez desde que machucou as costas. “Finalmente 72 horas depois saí do meu beliche“, disse Lush. “Posso me mover e isto é fantástico“.

Depois de escolher rotas diferentes nos últimos dias, hoje todos os sete barcos estão praticamente alinhados ao longo do paralelo 45, com mais de 450 milhas separando o MAPFRE em primeiro lugar, do Team AkzoNobel em sétimo. Mais informações acesse www.volvooceanrace.com.

Confira vídeos da Volvo Ocean Race AQUI.
.

Olá, você está curtindo o blog? Deixe o seu comentário!