Caiçara garante tricampeonato na classe C30 na Copa Suzuki em Ilhabela

Caiçara: tricampeão. Foto Aline Bassi / Balaio de Ideias.

A vitória na Regata Volta à Ilha e em mais duas provas barla-sota (entre duas boias), asseguraram ao Caiçara neste fim de semana (25 e 26) o tricampeonato da Copa Suzuki – Circuito Ilhabela de Vela Oceânica. No sábado, a entrosada tripulação do Caiçara venceu a desafiadora Regata Volta à Ilha, percorrendo 40 milhas (70 km) em 7h17min29, apenas quatro minutos após o Argos, modelo S40, teoricamente muito mais veloz, o que ratifica a força da classe C30.

O eCycle +Realizado foi o segundo C30 a cruzar a linha de chegada na Volta à Ilha, em homenagem ao velejador neozelandês Peter Blake. Nas duas regatas de domingo, com quatro milhas cada, os duelos do Caiçara foram contra Caballo Loco e Barracuda. O campeonato, com sede no Yacht Club de Ilhabela, será concluído no próximo fim de semana, 2 e 3 de dezembro, quando serão premiadas as melhores tripulações da temporada. Hoje, o pódio da classe C30 está formado por Caiçara, Caballo Loco e eCycle +Realizado.

eCycle +Realizado. Foto Aline Bassi / Balaio de Ideias.

Na Volta à Ilha o vento leste variou entre 10 e 17 nós e no domingo rondou para sueste, de 8 a 12 nós. “A Volta à Ilha teve vento o tempo todo, foi a melhor regata do ano”, contou o responsável pela ‘secretaria’ do Caiçara, Carlos Ney Ribeiro. “Largamos na Ponta das Canas e mantivemos a orça até a Ponta Grossa, onde nos enroscamos em uma rede de pesca. Perdemos cerca de três minutos, o que permitiu que a flotilha se agrupasse”, relatou Carlos Ney, tricampeão da Volta à Ilha com o Caiçara.

Após percorrerem a face leste de Ilhabela, os barcos enfrentaram forte correnteza norte-sul no retorno ao Canal de São Sebastião. “Mantivemos o rumo rente à ilha, quase lambendo as pedras para fugirmos da correnteza. Foi uma regata muito tática. O Gabriel (De Capitani) subiu duas vezes no mastro para avistar as rajadas de vento. Chegamos logo atrás de um S40. Estamos muito felizes com a força de nossa tripulação”, afirmou Carlos Ney.

Flotilha de C30 com vela balão. Foto Aline Bassi / Balaio de Ideias.

O segundo colocado da C30 na Volta à Ilha, eCycle +Realizado, fez uma regata de recuperação depois de ficar para trás na primeira metade. “Foram quatro regatas em uma, mas a Volta à Ilha é assim mesmo, sempre surpreendente. Ultrapassamos o Barracuda na Ponta Boi e o Caballo Loco no Bonete. Foi uma velejada deliciosa. É para se comemorar”, enalteceu Ricardo Apud, trimmer (responsável pelas velas) do +Realizado.

Ary Pereira Jr – ary70jr@hotmail.com

Olá, você está curtindo o blog? Deixe o seu comentário!