Festival Kaora reúne sobreviventes do câncer de mama em Santos

Festival Kaora reunirá sobreviventes do câncer de
mama em disputas de canoas havaianas. Foto Divulgação.

O domingo (22) será de esporte e de conscientização na Praia da Aparecida, em Santos, com a segunda edição do Festival Kaora de canoagem. O evento faz parte da programação do Aloha Spirit Festival “Elas”, em comemoração ao Outubro Rosa, e terá regatas curtas em catamarãs de canoas havaianas. Mais do que competir, a proposta é mesmo a confraternização, a união em torno da causa.

Serão 99 mulheres nas disputas, entre sobreviventes do câncer e atletas. Cada canoa com 12 participantes. As equipes serão montadas antes das provas, em sorteio. “Não estamos preocupados com campeonato. O objetivo dessa prova é a união de sobreviventes do câncer de mama com outras mulheres”, avisa o canoísta Fábio Paiva, organizador do evento e hoje uma espécie de embaixador da canoagem nessa ‘luta’.

Foto Divulgação.

Quanto mais se misturarem, mais fácil trata a causa, menos impacto para quem está na recuperação. As informações começam a vir mais rápido. A coragem fica mais fácil. Essa é a proposta, tudo junto e misturado. Por isso o sorteio, não tem equipe pronta. Todas se ajudarão, se integrarão”, explica.

Além do Festival, Fábio trabalha firme a autoestima e condicionamento das mulheres vítimas de câncer com aulas gratuitas de canoa havaiana todas as sextas-feiras. “Já foi comprovado que a canoagem é a melhor atividade pós-cirúrgico para vítimas do câncer de mama. E também há o fator psicológico, porque elas sociabilizam, traçam metas para as atividades físicas. Estão sempre se exercitando”, ressalta Fábio.

Em Santos, temos esse cenário maravilhoso, as canoas, tudo para colaborar. Queremos que cada vez mais mulheres venham remar. Já temos até uma equipe sendo formada para competir”, reforça o entusiasta das canoas havaianas, citando que hoje são 30 mulheres participando do projeto de treinos de canoagem.

MISSÃO – Ele revela que o projeto de aulas especiais de canoa havaiana para sobreviventes do câncer já existe há um ano e meio e a aceitação é grande. “Nosso foco é ampliar o projeto. O grande problema do Outubro Rosa é que em novembro ninguém mais pensa nisso. Meu trabalho, como missão, é não parar o ano inteiro”, afirma Fábio Paiva.

Estamos trabalhando há um ano e meio de maneira silenciosa e identificamos todos os benefícios, tanto na parte psicológica como física e nutricional. Hoje você vê mulheres que querem remar. O grande problema é que não se sabe a cura ou a causa, mas que hábitos saudáveis, cabeça boa, alimentação saudável fazem a pessoal criar longevidade”, acrescenta Paiva.

O canoísta explica que a proposta é criar estímulos diários para atividades físicas. “E a grande moeda de troca é remar. Todas adorar remar e vamos aumentando os desafios. Começamos com 400 metros e hoje remam quatro quilômetros em uma hora. E esses benefícios resultam na vida mais saudável com exercícios”, conta.

Para Fábio Paiva, a união do Festival Kaora com o Aloha Spirit num mesmo evento em homenagem ao Outubro Rosa fortalece o trabalho de conscientização da causa. “O Aloha é uma prova grande, atrai muita gente. Teremos uma ação conjunta também com a Caminhada Rosa, do Instituto Neomama, neste domingo. Depois das provas vamos todos para a concentração no Aquário. Unirmos forças, com a Remada Rosa. Vamos por mar, do lado do paredão, até o Canal 7”, anuncia o organizador, citando que o evento tem os apoios do Instituto do Câncer de São Paulo (Icesp) e Hospital Sírio Libanês.

A concentração do evento está marcada para às 7 horas na arena do Aloha Spirit “Elas”, montada em frente ao Colégio Escolástica Rosa. A primeira largada será às 8 horas. Serão três catamarãs em raias de 200 metros. Outra ação ligada ao tema será a palestra com a médica Christina May Moran de Brito, falando sobre “O papel do exercício na prevenção e no tratamento do câncer”, no sábado, às 15h na praia.

YÔGA TAMBÉM É DESTAQUE

Yôga será ministrado no Aloha Spirit Elas. Foto Divulgação


O yôga como aliado ao esporte. A prática será um dos destaques da programação do Aloha Spirit Festival “Elas”, com sessões na sexta-feira e no sábado, às 17 horas, na arena do evento, na areia da Praia da Aparecida, em frente ao Colégio Escolástica Rosa. Aberta ao público, a prática será comandada por Deni Filetti, com grande experiência no tema.

Ela explica que a proposta será colocar as atletas na posição de tranquilidade mental, equilíbrio. “A Yoga faz uma transformação mental. Tem até estudos em grandes universidades comprovando isso. Estabiliza a mente e faz a diferença na competição”, explica Deni, que há dez anos faz cursos de reciclagem na Índia.

O Aloha Spirit Festival “Elas” tem os patrocínios de Riachuelo e Cacau Show, com apoios de Booking.com e Onodera. Colaboração: Prefeitura Municipal de Santos. Realização: Associação Magna de Desportes e Lei Paulista de Incentivo ao Esporte.

Olá, você está curtindo o blog? Deixe o seu comentário!