Brasileiro de C30: tudo pronto para disputa na raia de Jurerê, em Florianópolis

Regatas sem favorito no Brasileiro de C30.. Foto Marcos Méndez/SailStation)

A classe considerada a mais competitiva da vela oceânica do país inicia nesta quarta-feira (08) o Campeonato Brasileiro de C30 com sede no Iate Clube de Santa Catarina (ICSC), em Florianópolis. Os três barcos que levaram seus tripulantes ao pódio ao final do Brasileiro de 2016, em Ilhabela, estão confirmados: os catarinenses Zeus e Katana Energia, campeão e vice, respectivamente, e o paulista Caballo Loco. O campeonato será concluído em julho, novamente em Ilhabela.

Diante do equilíbrio proporcionado pelas regras da classe com embarcações praticamente iguais, as seis regatas programadas entre 08 e 11 de fevereiro prometem disputas acirradas na Raia de Jurerê. Apesar de correr em casa na briga pelo bicampeonato, a tripulação do Zeus dispensa o favoritismo. “A classe C30 é sempre muito pegada e qualquer um dos barcos pode vencer porque o nível das tripulações é muito elevado. Apesar de a equipe ser a mesma em relação a 2016, temos treinado pouco. Não há favorito“, ratifica o timoneiro e tático do Zeus Sailing Team, Fipa Linhares.

Caballo Loco. (Edu Grigaitis / Balaio)

Com tripulação e barco modificados, o também catarinense Katana Energia traz no retrospecto o título da Semana de Vela de Ilhabela de 2016, mas o novo comandante adota a cautela. “Mesmo em uma classe extremamente competitiva, o Katana tem sido assíduo frequentador do pódio nas principais regatas, mas agora estamos em pleno processo de renovação. Considero o Zeus e o Caballo mais bem preparados, mas temos chances de melhorar nosso desempenho durante o campeonato“, afirma o comandante Fábio Filippon.

Mais acostumado às regatas no litoral norte paulista, o comandante do barco de Ubatuba, Caballo Loco, vive a expectativa de competir em Santa Catarina. “Considero Florianópolis como a melhor entre as raias habitualmente utilizadas na vela oceânica. O lugar é lindo, o vento é constante e não há vícios de correnteza. Vamos aproveitar ao máximo as condições de velejo que essa classe fantástica nos oferece“, define Mauro Dottori, medalha de bronze no Brasileiro de 2016.

Katana Energia. Foto Gabriel Heusi

A flotilha da classe C30 contará também com a força do Corta Vento, tradicional barco de Florianópilis, com resultados expressivos obtidos em 2016. Foi o Fita Azul, primeiro a cruzar a linha de chegada, nas regatas catarinenses Solitário e Ele e Ela. Comandado por Daniel Mattos, o Corta Vento venceu ainda a Baía Sul. Além da C30, o Circuito de Santa Catarina, válido pela primeira etapa do Brasileiro de C30, reunirá as classes ORC, IRC, RGS, HPE-25, Bico de Proa e Multicascos.

Por Ary Pereira Jr – ary70jr@hotmail.com

Olá, você está curtindo o blog? Deixe o seu comentário!