Pioneiros do surfe são homenageados no Dia do Surfista, em Santos

Os pioneiros do surfe foram homenageados pelo Dia do Surfista em Santos. Foto Fábio Maradei

Mais uma vez o Salão Nobre da prefeitura de Santos viu um clima festivo, descontraído, com as homenagens feitas aos pioneiros no Dia do Surfista. O evento foi realizado no final da tarde desta segunda-feira (23) e teve o prefeito Paulo Alexandre Barbosa fazendo as honras da casa, para um público seleto, formado por ícones do esporte, como Picuruta Salazar, Cisco Araña, Homero Naldinho, Fabio Jacuí Boturão, Fuad Mansur e Carlos Argento.

Nesta edição quatro surfistas das décadas de 60 e 70 foram os escolhidos, através da pesquisa feita por Diniz Iozzi, o Pardhal, para representar a história da modalidade – Elyseu De Andrade Júnior, Vicente Ferraro, Antonio Carlos Maia Pinto “Black do 6” e Silvio Pereira Lopes Filho, o “Silvio do Conde”. Todos receberam placas por suas trajetórias, diante de muitos aplausos.

Junto aos pioneiros, o presidente da TV Tribuna e da Associação Comercial de Santos, Roberto Clemente Santini, teve todo o seu apoio ao esporte reverenciado pela Associação Santos de Surf com a concessão do primeiro título de sócio honorário da entidade. A honra coube ao presidente da ASS, Marcos Andrade, que aproveitou o momento para reforçar o final de seu mandato, garantindo várias conquistas ao surfe da Cidade, como o Centro de Treinamento no Quebra-Mar. “É muito honroso estar aqui representando a ASS. Ficar à frente da ASS, foi muito importante e só tenho a agradecer a administração pública, ao prefeito. Quanto ao título do Roberto, o seu constante apoio ao surf pelo jornal e pela TV Tribuna foram fundamentais”, disse Andrade.

Marcos Andrade e Roberto Santini. Foto Fábio Maradei.

Para Santini, o momento também foi marcante. “Em primeiro lugar, uma confissão. Esse meio me faz muito bem. Me sinto à vontade. Com orgulho posso afirmar que nasci em Santos e vivi muito na praia e no mar. De pronto, o surfe me remete à minha juventude, me faz lembrar de grandes momentos alegres, viagens e de muitos amigos, que assim como eu vivem e curtem o surfe até hoje”, lembrou.

Minha ligação e do Grupo A Tribuna com o surf é antiga. Desde as páginas escritas pelo jornalista Murilo Ferreira Lima”, contou, citando que o jornal ganhou o prêmio da ASP (hoje WSL) de melhor cobertura jornalística no mundo. “Sem dúvida é um esporte encantador. Vale repetir o que já disse várias vezes, é um esporte com a cara de Santos”, afirmou Santini, destacando as etapas do Brasileiro e depois o A Tribuna Colegial, referência no segmento e com 21 anos de existência.

Salão lotado na prefeitura de Santos. Foto Fábio Maradei

Representando os homenageados, Elyseu discursou em meio a muitos aplausos. “O surfe para nós é uma paixão. Estou feliz. É como se eu estivesse com todo mundo dentro da água, num dia de altas ondas”, brincou. O hoje secretário de Cultura, Fabio Nunes, o Fabião, autor da Lei que criou o Dia do Surf em 2003, também enalteceu as homenagens. “Fico feliz de ter sido o vetor dessa homenagem”, resumiu.

O prefeito ressaltou a importância das homenagens, do resgate da história feita sempre na data comemorativa. “Esse é um evento que traz uma energia muito positiva. Esse astral é muito bom para a gente enfrentar os desafios do ano todo. A gente tem trabalhado para valorizar a história do surfe”, discursou, falando também da Escola Radical, a primeira pública do País e que agora terá mais um avanço, sendo a primeira de surfe para inclusão no Brasil. “Avançamos bastante”, falou.

Os homenageados do ano. Foto Fábio Maradei

Uma cidade para construir o futuro, e qualquer estado, qualquer país, tem de valorizar o seu passado, a sua história. E o que estamos vendo aqui hoje é a valorização da história. Os homenageados são boas referências. E através dos bons exemplos, das boas referências, que a gente consegue escrever novos capítulos da nossa história. Tenho certeza de que essa homenagem é muito mais do que uma valorização pessoal, mas um exemplo de vida, de conduta, de comportamento de cada um de vocês, que vai inspirar as novas gerações de surfistas que se formarão”, concluiu.

One Comment
  1. Oi meninos…Tem um amigo do Boqueirão q mora na Pedro Lessa que não vejo há 30 anos ou mais. Ele frequentava a oficina caseira de prancha do Carlão Mormanno e há mais ou menos um ano ou dois o Eduardo Mormanno, irmão do Carlão, trombou com ele no Guarujá pegando onda. O nome dele é Carlos Augusto e já morou no canal 6. Há 20 e tantos anos ele parecia O Robert Plant do Led Zeppelin, mas nem o Robert Plant se parece mais com ele mesmo a essa altura.Enfim soube que ele se casou com a namorada da adolescência e se mudou para São José dos Campos e agora se separou e voltou pra Santos, esta morando perto do canal 4 com a mãe! Alguém conhece. Ele deve parelhar comigo de idade, uns 50 e poucos, foi loiro, mas como como eu, imagino que esteja grisalho, baixinho. Tá no máximo 1,70 cm. Alguém conhece? Pulava carnaval no Atlético. Ass. Mariposa Descabelada de São Paulo (patget@yahoo.com)

Olá, você está curtindo o blog? Deixe o seu comentário!