Velejador olímpico chileno reforça classe C30 em Ilhabela

Equilíbrio na classe C30 Foto Marcos Méndez / SailStation

Equilíbrio na classe C30 Foto Marcos Méndez / SailStation

O barco Kaikias será um dos destaques da flotilha de C30 nesta temporada a partir do Circuito Ilhabela de vela Oceânica, incluindo-se a Semana de Vela e o Campeonato Brasileiro da classe, ambos também na Capital Nacional da Vela. O barco do litoral norte paulista terá como timoneiro o velejador olímpico Felipe Echenique, representante chileno da classe Laser nos Jogos Olímpicos de Atlanta (EUA), em 1996. A segunda etapa do circuito será disputada nos dois próximos finais de semana (4 e 5, 11 e 12/6) no Canal de São Sebastião.

Felipe comandará tripulação formada por maioria de amigos que migraram dos monotipos para a vela oceânica. “Estamos superanimados porque o barco é fantástico, um dos mais legais que já velejei. O C30 é muito rápido e você sente que tem o equipamento ‘nas mãos’, o que dá mais vontade de competir“, afirma o chileno campeão sul-americano de Laser. “Quem vem do monotipo traz muita sensibilidade para conduzir a embarcação. É também o caso do Iago Whately, excelente velejador, nosso trimmer (regulador) da vela mestra“.

Barco C30 Kaikias. Foto Marcos Méndez / SailStation.

Barco C30 Kaikias. Foto Marcos Méndez / SailStation.

A tripulação do Kaikias utiliza o Circuito Ilhabela para compreender o barco e desenvolver o aprendizado. “Ainda estamos adquirindo experiência na classe que é sem dúvida uma das mais competitivas. A tendência é de evoluirmos a cada regata“, prevê Felipe. Na abertura da temporada, o equilíbrio da flotilha garantiu a emoção na C30. O barco Caballo Loco venceu a etapa com apenas um ponto de vantagem sobre o Caiçara, que também ficou um ponto à frente do terceiro colocado Barracuda.

O experiente Mauro Dottori, comandante do Caballo Loco, líder do Circuito Ilhabela após a primeira etapa, aproveita para elogiar o amigo e agora também rival na C30. “Felipe Echenique é uma excelente aquisição para a classe. Vai favorecer a evolução da flotilha e elevar ainda mais o nível técnico das regatas nesta sequência que teremos pela frente em Ilhabela nos próximos meses, a partir deste fim de semana com a Copa Suzuki “, acredita Mauro.

Jogos Olímpicos Rio 2016

Associado do Yacht Club de Santo Amaro (YCSA), Felipe é também campeão brasileiro de Optimist e tricampeão paulista de Laser. Nos Jogos Rio 2016, a torcida será a favor do parceiro de clube e de classe, Robert Scheidt. “As raias do Rio exigem conhecimento, devido ao complexo sistema de ventos e de correntes. Por isso o Robert tem reais chances de medalha“, considera Felipe.

Felipe Echenique no Brasileiro de Laser em 2015. Foto Fred Hoffmann

Felipe Echenique no Brasileiro de Laser em 2015. Foto Fred Hoffmann

Robert conquistou seu primeiro ouro olímpico na Laser, em 1996, quando Felipe correu pelo Chile na mesma classe. Também “quarentão”, o chileno tem consciência da força física exigida na Laser e espera que as condições colaborem para que Robert chegue à sexta medalha em seis olimpíadas. “Na época dos Jogos, a tendência é de que os ventos estejam mais fracos ou moderados no Rio, o que também pode contribuir taticamente com o Robert, evitando excessivo desgaste físico, apesar de sua excelente preparação“, confia o comandante do C30 Kaikias, que largará para a primeira regata do Warm Up neste sábado (4), ao meio-dia em Ilhabela.

Por Ary Pereira Jr – ary70jr@hotmail.com

Olá, você está curtindo o blog? Deixe o seu comentário!