John John Florence faz história no Quiksilver em memória a Eddie Aikau

John John Florence faturou US$ 75 mil. Foto WSL/Heff

John John Florence faturou US$ 75 mil. Foto WSL/Heff

O havaiano Brock Little deve ter ficado contente com o que viu lá do céu. Outro havaiano John John Florence, faturou o título do Quilsilver em Memória a Eddie Aikau nesta quinta-feira (25), com ondas de mais de seis metros (20 pés), em Waimea, diante de uma multidão de 25 mil pessoas que lotaram os arredores do pico para assistir o desempenho dos big riders, entre eles o baiano Danilo Couto, que substituiu ao lesionado havaiano Albee Layer.

O “swell Brock” como foi batizado produziu grande ondas e o Quiksilver em Memória ao Eddie Aikau começou cedo depois de alguns anos de espera. Para garantir a segurança de todos, os surfista foram informados que seriam abordados pela equipe se não dessem o sinal de ok após cada wipeout. Mais velho participante do evento, Clyde Aikau, 66 anos, remou para o outside e lembrou a todos de seu irmão novo, o homenageado Eddie Aikau, que nunca perdeu uma vida em Waimea.

John John e Danilo foram resgatados após droparem ondas da serie. Foto WSL/Hess

John John e Danilo foram resgatados após droparem ondas da serie. Foto WSL/Hess

Para Clyde foi um dia emocional. O ex-campeão do evento decidiu esta seria sua última vez competindo e logo na primeira onda acabou caindo. As equipes de resgate foram ao seu encontro na zona de arrebentação, mas Clyde deixou o slad e remou de volta para o line up, pegando outras ondas antes do término da bateria. A atitude do surfista de 66 anos serviu para os demais big riders ao longo do dia. Com tantas ondas rolando, esse foi o Quiksilver em memória a Eddie Aikau mais competitivo da história. O formato do evento, sem eliminação, oferece chance para todos os competidores e ganha aquele que somar mais pontos nas quatro melhores ondas surfadas durante o dia.

Jamie O'Brien e Shane Dorian dividindo uma bomba. Foto WSL/Keoki

Jamie O’Brien e Shane Dorian dividindo uma bomba. Foto WSL/Keoki

Pelo Round 1, Jamie O’Brien pegou uma das maiores onda da manhã e depois do longo drop, acabou engolido pela espuma. Mas foi o australiano Ross Clarke Jones, 50 anos, campeão do evento há 15 anos, que teve o melhor desempenho nas baterias de estreia, dropando bombas com segurança. Conhecido por seu excelente desempenho nas ondas gigantes, Shane Dorian reagiu no Round 2 e também passou a brigar pelo título assumindo a liderança. Não satisfeito, Ross Clarke-Jones – que já foi casado com uma brasileira – pegou outras duas bombas no Round 2 e reassumiu a liderança.

Já a lista de ondas de destaque surfadas foi grande. Jamie O’Brien e Mason Ho pegaram uma bomba muito semelhante a onda surfada por Brock Little em 1990. Os goofyfooters Mark Healey, Kohl Christensen e Danilo Couto pegaram ondas impressionantes de backside. Ainda pelo Round 1, o mais jovem participante Koa Rothman, 22 anos, dividia o line up com seu irmão mais velho, Makuakai Rothman, que levou dois dos piores wipeouts do dia. No segundo, Makuakai colidiu com Kala Alexander durante o drop e despencou na parede da onda (Assista AQUI). Campeão mundial de ondas grandes, Grant Twiggy Baker também encarou a “queda livre” em uma bomba, para delírio do público que assistia na praia.

Como quem não queria nada, o havaiano John John Florence levou para Waimea o seu estilo casual para o surfe de ondas grandes e surpreendeu a muitos pelo forma confortável como encarou as difíceis condições. Já o americano Kelly Slater, após uma tímida participação no Round 1, fez das suas na segunda bateria ao tirar um tubo e dedicá-lo ao amigo recentemente falecido.

Kelly Slater foi em busca do tubo para o amigo Brock Little. Foto WSL/Keoki

Kelly Slater foi em busca do tubo para o amigo Brock Little. Foto WSL/Keoki

Na rodada final, John John Florence foi para a água necessitando de grandes notas para ultrapassar Ross Clarke-Jones. Na primeira onda, após o drop vertical, John John desapareceu na espuma por alguns segundos até reaparecer para ganhar nota 89. Com menos de 10 minutos para o fim, ele ainda precisava de onda digna de 60 pontos. E conseguiu, ao marcar 88.

Depois disso, John John esperou o tempo passar. Com Makukai Rothman, Ian Walsh, Peter Mel e Nathan Fletcher na bateria final do dia, tudo podia acontecer. A principal ameaça era Makuakai Rothman, mas os minutos passaram e Florence pode comemorar e dedicar o título ao havaiano Brock Little. O havaiano se tornou o mais jovem surfista a vencer o evento.

Mason Ho e John John Florence na bomba que lembrou a onda de Brock em 1990. Foto WSL

Mason Ho e John John Florence na bomba que lembrou a onda de Brock em 1990. Foto WSL

CLASSIFICAÇÃO FINAL DO QUIKSILVER EM MEMÓRIA A EDDIE AIKAU
1º John John Florence HAW 301
2º Ross Clarke-Jones AUS 278
3º Shane Dorian HAV 270
4º Jamie Mitchell AUS 249
5º Kelly Slater EUA 238
6º Makuakai Rothman HAV 231
7º Dave Wassel HAV 230
8º Mason Ho HAV 191
9º Grant Baker AFS 185
10º Jamie O’Brien HAV 180
20º Danilo Couto BRA 99

John John Florence pelo Round 1. Foto WSL/Keoki

John John Florence pelo Round 1. Foto WSL/Keoki

Olá, você está curtindo o blog? Deixe o seu comentário!