Confira os 12 principais fatos no mundo do surf em 2015

12 Principais Fatos do ano: Mick Fanning foi atacado por um tubarão dia 19 de julho.

12 Principais Fatos do ano: Mick Fanning foi atacado por um tubarão dia 19 de julho.

Chegamos ao final de um ano cheio de histórias para contar, com fatos marcantes no surf e aqui listei os 12 principais acontecimentos da temporada 2015, mas sem ordem cronológica. Tirando o primeiro deles, não fiz questão de colocá-los em ordem de importância segundo minha visão, mas foram assuntos que percebi que tiveram muita repercussão nos blogs que acompanho e no próprio Notícias do Mar.

Tem de tudo, tudo grande, ondulação, conquista, perda, wipeout, anúncio, jogada e fracasso…Incrível ver que o maior surfista de todos os tempos, Kelly Slater, está lá com sua marca em duas grandes “jogadas”. Adriano de Souza também está dentro com o título mundial. Mas o caso de Mick é inigualável. Confira:

1 – ATAQUE DE TUBARÃO AO MICK FANNING NA FINAL DO J-BAY OPEN

Só por ter sido um fato insólito já merece destaque, ainda mais transmitido ao vivo para milhões de pessoas. O ataque ou encontro, como preferem alguns especialistas, tornou o australiano tricampeão mundial Mick Fanning o surfista mais conhecido do planeta. As imagens falam por si, e ainda bem que nada aconteceu com Mick. O J-Bay Open não teve um campeão, mas a etapa sul-africana foi confirmada no calendário de 2016 e a World Surf League se comprometeu a acelerar os estudos e adotar medidas para garantir maior segurança aos atletas. Ah, os pontos que Mick ou Julian Wilson, o outro finalista, deixaram de ganhar – pois terminaram empatados em segundo lugar – não fariam diferença ao final do ano no ranking da WSL vencido pelo brasileiro Adriano de Souza.

2 – MAIOR ONDA JÁ SURFADA NA REMADA EM PUERTO ESCONDIDO

O big rider havaiano Mark Healey estava em Puerto Escondido para aguardar uma das maiores ondulações da história dos últimos 20 anos no beachbreak conhecido como Pipe Mexicana, devido a característica tubular das ondas semelhante a Pipeline, a meca do surf no Havaí. E no dia 3 de maio foi agraciado com aquela que dizem ser a maior onda já surfada na remada na Baia de Zicatela. “Remei do porto por 30 minutos e depois de 15 minutos esta onda apareceu. Eu dropei e vi metade do tubo e esperei rodar, mas tive que pular. Fui destruído. Tive sorte de estar com meu colete (flutuador), porque depois entraram mais três ondas. Sem colete, eu teria me afogado“, contou Healey.

3 – KELLY SLATER WAVE MACHINE, A PISCINA DE ONDAS ARTIFICIAIS DE KELLY SLATER

Kelly's Wave from Kelly Slater Wave Company on Vimeo.

No último dia 6 de dezembro, o maior surfista de todos os tempos surfou naquela que promete ser a piscina artificial com a onda mais perfeita do mundo. Após 10 anos desenvolvendo o projeto em uma área rural de Leemore, no Vale Central da Califórnia, Kelly Slater apresentou o vídeo no último dia 19 de dezembro com essa primeira sessão de surf na Kelly Slater Wave Machine e deixou a comunidade do surf boquiaberta. Será o fim do soul surf? Da busca pela onda perfeita? Da sintonia entre homem e a natureza? Ou apenas um local a mais para diversão do ser humano? Aguardamos cenas dos próximos capítulos…

4 – ABRE E FECHA DA SURF SNOWDONIA, A PISCINA DE ONDAS ARTIFICIAIS DO PAÍS DE GALES

Aberto no dia 1º de agosto, a Surf Snowdonia, localizada no País de Gales, nasceu com o status de melhor piscina com ondas artificiais do mundo, usando a tecnologia da WaveGarden. Chegou até a sedia uma uma competição, o Red Bull Unleashed, realizada com a participação de alguns dos melhores surfistas da World Qualfying Series.

Foto Daily Post

Foto Daily Post

Tudo parecia tranquilo e fadado ao sucesso não fosse o mecanismo de geração da onda ser tão complexo. Forçados a esvaziarem o lago artificial pela terceira vez em menos de 60 dias de atividade, os proprietários do complexo decidiram fechar o estabelecimento em 6 de outubro para reabri-lo na próxima temporada de verão, a partir de maio de 2016, já com todos os defeitos sanados.

5 – MUZZA SWELL, A ONDULAÇÃO DO SÉCULO, NA INDONÉSIA E OESTE DA AUSTRALIA

Muzza Swell Kandui Paulo Moura from paulo moura on Vimeo.

Chamado também de Swell do Século, o Muzza Swell garantiu ondas inesquecíveis para quem estava no Oeste da Austrália e na Indonésia, particularmente, nas Ilhas Mentawaii, na penúltima semana do mês de julho. Paulo Moura, Jean da Silva, Franklin Serpa, Luel Felipe, Craig Anderson, Nate Behl, entre outros fizeram a cabeça e suas imagens rodaram o mundo em vídeos que mostravam as esquerdas perfeitas de 10 pés plus em Kandui. No Oeste da Austrália, The Right funcionou, e alfuns big riders arriscaram suas vidas para pegar as bombas da laje australiana sinistra.

6 – FALÊNCIA DA QUIKSILVER NOS EUA

Considerada uma das três grandes ao lado da Rip Curl e da Billabong, a Quiksilver entrou com pedido de recuperação judicial nos Estados Unidos, mas na Europa e na região Ásia-Pacífico continua operando normalmente. Com problemas financeiros na terra do Tio Sam, a empresa divulgou em setembro um plano de reestruturação de US$ 175 milhões, financiado pela Oaktree Capital Management. Dona de uma parte da Billabong, a Oaktree assume o controle da marca quando a reestruturação estiver completa.

A Quiksilver marcou época nos anos 1990 e no início dos 2000. Depois de um período de crescimento, a empresa lutou para encarar varejistas de fast-fashion como H&M. Em 2014, a Quiksilver registrou queda nas vendas de 13%, com uma perda líquida que chegou a US$ 309,4 milhões e planos de continuar fechando lojas nas Américas. A dívida total da empresa é de US$ 826 milhões, enquanto seus ativos totalizam US$ 337 milhões. A marca ainda perdeu Kelly Slater, seu astro durante mais de uma década.

7 – COMPRA DA FIREWIRE POR KELLY SLATER

Kelly Slater em anúncio de sua marca Outerknow. Foto Morgan Maassen

Kelly Slater em anúncio de sua marca Outerknow. Foto Morgan Maassen

Após deixar a Quiksilver, Kelly Slater chamou atenção no início do ano ao não usar mais as tradicionais pranchas da Channel Islands, de Al Merrick. O maior surfista de todos os tempos começou a testar pranchas de outros shapers na esteira de sua filosofia de vida – ser sustentável e não agredir o meio ambiente – e tratou de ir atrás de soluções para surfar com uma equipamento menos poluidor. Assim surgiram as especulações de que o americano estaria comprando a Firewire, empresa que reúne alguns dos principais shapers do mundo, e que já desenvolvia projetos neste sentido. A compra de 70% da indústria foi confirmada dias depois, mas a negociação parece ter sugado um pouco da concentração de Kelinho que acabou sendo “páreo fácil” para seus colegas de Tour.

8 – AS BATERIAS PERFEITAS DE OWEN WRIGHT

O australiano Owen Wright surgiu como candidato ao título da temporada da World Surf League após vencer o Fiji Pro com propriedade. Nunca antes na história do surfe competição um surfista havia sido capaz de fazer duas baterias perfeitas, com duas notas 10 em cada bateria. A primeira, pelo Round 5, e a segunda, na final contra Julian Wilson.

Claro que as ondas que variaram dos 8 a 12 pés durante dois dias em Cloudbreak “facilitaram” as coisas para o irmão mais velho de Tyler Wright, mas nenhum outro surfista conseguiu fazer o mesmo. Não é a toa que Kelly Slater costuma passar seis semanas por ano em Fiji para entrar em sintonia com Netuno. Owen, pelo jeito, aprendeu a lição das ondas perfeitas rapidinho ou fez um acordo com o Deus dos Mares.

9 – A VACA SINISTRA DE NICOLLO PORCELLA EM TEAHUPOO

Dublê de cenas de ação, o italiano Nicollo Porcella se tornou conhecido em todo o mundo após protagonizar um wipeout inesquecível no maior swell do ano em Teahupoo. Menos mal que nada aconteceu com o surfista. Pelas imagens, Porcella ainda embolsou algumas verdinhas ao faturou o prêmio de Maior Wipeout do XXL Big Wave Awards, o Oscar das ondas grandes.

10 – O ASSASSINATO DO SURFISTA RICARDO DOS SANTOS

Ricardinho

O crime contra a vida do surfista catarinense Ricardo dos Santos chocou a comunidade do surfe no início do ano. Na manhã do dia 19 de janeiro, Ricardinho estava em casa quando foi baleado duas vezes e teve a vida ceifada após chamar a atenção de um policial militar que havia curtido uma noitada no paraíso do litoral catarinense, de folga e armado.

Detido pela Polícia Civil, o assassino ainda vai a júri popular, mas pelo menos, depois de alguns meses, foi expulso da corporação, onde trabalhou sem cumprir a sua missão: oferecer segurança aos cidadãos de Santa Catarina. Ricardinho ganhou homenagens póstumas de todos os lados, inspirou as vitórias dos brasileiros no circuito mundial e continua sendo referência quando´o assunto é surfar no tubos das principais ondas do planeta.

11- SURF DE MOTO EM TEAHUPOO

O dublê australiano Robbie Maddison surpreendeu o mundo ao surgir no meio do Oceano Indico pilotando uma motocicleta adaptada. Mais do que isso, ainda surfou uma onda após seguir as orientações do local Raiman Von Bastolaer. Tudo não passou de uma ação de marketing da DC Shoes, marca de tênis ligada ao universo do surf e do skate. Pipe Dream virou o anúncio do ano e rendeu cenas de bastidores (making of) que atraíram a curiosidade de milhares de internautas.

12- ADRIANO DE SOUZA CONQUISTA O TÍTULO MUNDIAL

Adriano de Souza com a prancha Gerry Lopez que ganhou ao vencer o Pipe Masters. Foto Kirstin Scholtz.

Adriano de Souza com a prancha Gerry Lopez que ganhou ao vencer o Pipe Masters e o troféu do evento. Foto Kirstin Scholtz.

Adriano de Souza conquistou o título mundial da World Surf League e se tornou o primeiro brasileiro a vencer o Pipe Masters, última etapa do circuito mundial. A conquista veio com a marca registrada de Mineirinho, o trabalho duro e perseverantes, pois chegou a liderar o circuito mundial no primeiro semestre, perdeu a posição e chegou ao Havaí na condição de terceiro favorito ao título (pelo ranking). Mais do que isso representou também a vitória de um menino que primeiro aprendeu a sonhar e depois batalhou por 10 anos no circuito mundial para enfim se consagrar e poder servir de inspiração para a nova geração. Foi a vitória que completou o domínio brasileiro em 2015, pois também teve o campeão da Tríplice Coroa Havaiana (Gabriel Medina), a revelação do ano (Italo Ferreira) e o campeão do World Qualfying Series (Caio Ibelli).

Olá, você está curtindo o blog? Deixe o seu comentário!